DestaqueNotícias

Gestor da Fapeal reafirma a importância pública da ciência e do financiamento à pesquisa

O professor Fábio Guedes Gomes participou do segundo dia do Pint of Science.

Naísia Xavier

Clique para acessar a palestra.

“A importância da pesquisa científica no pós-pandemia” foi tema de palestra para o professor Fábio Guedes, durante o segundo dia de atividades on-line do evento mundial de divulgação científica Pint of Science. No Brasil, Maceió é uma das 73 cidades participantes, por inciativa da Universidade Estadual de Ciências da Saúde (Uncisal).

O palestrante preside a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) e o Conselho Nacional das Faps (Confap), é membro do Conselho Nacional de CT&I e do Conselho Deliberativo do CNPq. Ele principiou sua fala parabenizando a iniciativa de popularização da ciência e seu papel educativo:

“O cientista vai contar um pouco a sua trajetória científica e acadêmica para que as pessoas possam se inspirar também, assim como em qualquer outro tipo de profissão, quando a gente escuta a experiência de vida de outras pessoas. Com os cientistas não é diferente: São pessoas comuns, que enfrentam problemas quotidianos e que têm trajetórias de vida que orgulham muitas pessoas”, refletiu o pesquisador e gestor, que se foca nas áreas de Economia, desenvolvimento e administração pública.

Cenário Atual

Guedes comentou que hoje, “a ciência está sendo vista como a única solução possível para superar os problemas propostos pela pandemia, infelizmente face a milhares de pessoas que faleceram (…) É realmente um grande desafio para a sociedade contemporânea mas, em comparação com outros momentos da história da humanidade, não tenham dúvidas de uma resposta da ciência à altura dessa pandemia. Mas é importante temos a consciência que ela ainda não passou (…) Essa “lei biológica” está, de certa forma, ainda nos atacando diariamente e não temos certeza do amanhã”, pondera.

Na palestra, o gestor discutiu ainda as tendências de manifestações de irracionalidade na discussão política pública da atualidade, como as notícias falsas e o negacionismo científico:

“Precisamos de mais educação e conhecimento científico para combater o mal de nossa época: ou seja, as formas desleais, ignorantes e mentirosas de discussão pública e de disputa pelo poder”, resumiu, em uma palestra que citou referências tão diversas quanto o poeta Camões, o psicolinguista Steven Pinker e o físico Max Plank.

O último tópico da conversa foram as políticas públicas de financiamento em relação à conjuntura atual do Brasil:

“O Brasil ainda tem agendas de ciência muito importantes. Eu poderia citar as doenças negligenciadas e as arboviroses, que são problemas de países atrasados e subdesenvolvidos e que ainda não conseguimos superar, em que a pesquisa científica tem um papel extraordinário a desenvolver”, apontou o professor Fábio Guedes, chamando atenção para doenças como Dengue, Zyka, Chikungunya e Febre Amarela, todas transmitidas por mosquitos e fortemente vinculadas ao saneamento básico e características habitacionais de um país como o Brasil.

“Torço para que no ano que vem a gente possa fazer o evento num lugar como uma choparia, onde a ciência também pode ser discutida de maneira ainda mais pública e levar informações também para o cidadão comum. Parabéns à Uncisal. É uma satisfação enorme para o Governo de Alagoas e para a Fapeal contribuir com o evento de vocês”, disse, em referência ao formato original do Pint of Science, que leva cientistas a aproximarem seu trabalho do público por meio de palestras em bares e cafeterias.

conteúdo completo está disponível no canal do Pint of Science Online – Brasil, no Youtube, inclusive com tradução simultânea em libras.